segunda-feira, 30 de novembro de 2009

TV e Vídeo e Educação!

A Televisão foi inventada em 1920 e chegou ao Brasil, aproximadamente, 30 anos depois de sua invenção. Ou seja, chegou ao nosso país por volta de 1950.

Desde a sua invenção, a TV passou por uma série de evoluções até chegar no formato que conhecemos hoje. Em sua grade, podemos encontrar uma diversidade de programas voltados para todas as faixas etárias. São programas que abarcam uma série de assuntos, ambientes, culturas, religiões, etc.


Podemos encontrar também vários programas voltados para a área da educação, como por exemplo os Telecursos, e os programas infantis.
No ambiente escolar, a utilização da TV é muito importante para o processo de ensino-aprendizagem, pois por meio dela os professores poderão utilizar uma série de programas que foram gravados para auxiliar tanto aos professores, quanto aos alunos inseridos em tal processo.


Ainda no ambiente escolar, é possível perceber o quanto a utilização da TV e do vídeo são importantes para o desenvolvimento tanto da prática docente, quanto do aprendizado dos alunos, pois são recursos metodológicos que, se utilizados corretamente, proporcionarão altos ganhos para o sucesso final de todos que estão inseridos no contexto escolar. Percebe-se também que é muito interessante aproximar os alunos a fim de que possam desenvolver produções próprias e/ou adaptações de obras.

Muitas são as mídeas que podem ser utilizadas a favor da educação de qualidade. Para sua efetivação, é necessário uma iniciativa Governo Brasileiro através das ações afirmativas das políticas públicas no sentindo de proporcionar aos profissionais da educação, em especial aos professores, um acesso maior a essas tecnologiasque envolvam a produção de vídeos.
Desse modo, os professores, que estarão altamente preparados para trabalhar com essas tecnologias em sala de aula, poderá proporcionar aos alunos um contato maior com essas tecnologia por mei das quais ocorrerão produções de vídeo que tenham como finalidade ampliar as oportunidades de desenvolvimento cognitivo desses alunos através das múltiplas produções que poderão realizar.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Impressos x Internet??? Não!!! Impressos e Internet!!!

Muito se tem discutido acerca da utilização dos impressos em toda a sociedade, especialmente no ambiente escolar. Tal discussão ganhou mais "fôlego" com a propragação da internet, que acabou por abarcar várias publicações voltadas para os mais variados gostos.
Com isso, inúmeros questionamentos vão surgindo em nossa sociedade acerca do destino do impresso e/ou internet. Questionamentos como, por exemplo, a substituição dos impressos pela internet, o fim da impressão, etc... Ou seja, são as especulações alarmantes que afloram quando novas mídias de comunicação vão surgindo. Assim, aquilo que até então servia à população passa a ser considerado como velho, ultrapassado...


Acredito que não haverá uma extinção dos impressos. Realmente, é fato que seu uso está diminuindo, mas isso não é o suficiente para que os alarmes sejam ativados. Trata-se de uma questão de preferência! Algumas pessoas preferem as leituras impressas, outras preferem leituras eletrônicas.

Acredito que o melhor é a utilização das duas formas, pois cada uma
tem particularidades que serão fundamentais para aguçar mais ainda o gosto dos indivíduos. Principalmente nas escolas, o que deve ser feito é aliar o processo de ensino-apredizagem às duas formas de acesso ao conhecimento - o impresso e o eletrônico. Cada uma delas possuem características próprias, que são fundamentais na aquisição das informações essencias à construção do conhecimento que os alunos desenvolverão no ambiente escolar.

Enfim, não se trata de substituição do Impresso pela Internet, mas da complementação que deve existir entre ambos, onde cada um irá contribuir com sua característica própria para fornecer ao indivíduo as bases necessárias para sua efetiva aprendizagem.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Globalização e Exclusão Social

video

Vivemos numa sociedade capitalista, onde o processo de globalização tornou-se irreversível, mas não necessariamente excludente. Essa tal Globalização tem proporcionado inúmeras transformações na forma como "enxergamos o mundo" e as relações entre as pessoas. Do ponto de vista do companheirismo presencial ("olho no olho"), verificamos relações cada vez mais distantes. Entretanto, podemos encontrar uma "aproximação" entre as pessoas e as culturas por meio das tecnologias, ainda que estas não façam parte da realidade de muitos indivíduos. Ou seja, a Globalização tem provocado grandes mudanças sobre a vida das pessoas, modos de agir, pensar e principalmente na educação. Desse modo, podemos observar que tanto a educação quanto o acesso à tecnologia são apenas dimensões da "exclusão" social.
Podemos observar que a pobreza está relacionado com os interesses que a sociedade define para si. Nesse sentido, o acesso à educação e à tecnologia está diretamente ligado às definições de pobreza da Sociedade da Informação. Contudo, não se pode afirmar que a escola e o computador são os únicos elementos da fórmula a ser utilizada para a salvar a sociedade daquilo que consideramos o "MONSTRO" causador de todo as mazelas sociais: o Capitalismo. Não é tão simples.
A cultura global tornou a popularização dos eletroeletrônicos e a rápida obsolescência dos modelos como algo comum, natural. Com isso, cria o mito da necessidade de substituição, que se torna quase obrigatória para os "viciados" em tecnologia, em novidades, no novo, no Eu Quero.
Como verificamos em Marx: "Os seres humanos devem mudar completamente as condições da sua existência industrial e política, e, consequentemente, toda a sua maneira de ser."
Enfim, precisamos nos concientizar, compreender que é maravilhoso vivenciar tudo o que a tecnologia, tudo o que a Globalização tem nos proporcionados como a facilidade de acesso às informações sobre as várias culturas existentes. Mas não podemos esquecer o quanto essa vivência ainda está muito longe de ser experenciada por uma parcela muito significativa da população.